terça-feira, 30 de março de 2010

Notas importantes

Primeiro, não sou do sindicato nem represento bandeira de nenhum partido político, aliás, não concordo com muito do que vejo, justamente por isso não participo. Entretanto, estou numa situação em que simplesmente não posso me omitir, pois não consigo ver tanta injustiça e cruzar os braços, e união é algo indispensável neste momento.

Sou professor e estou pensando exlusivamente em melhoras nas condições para nós e para os alunos, luto por isso. Morrerei no dia em que deixar de acreditar nos meus sonhos e utopias.

Confesso também que as bombas e tiros lançados contra nós me fizeram nutrir uma "simpatia" maior em relação a José Serra, afinal não tenho sangue de rato nas veias.

Abraços!

domingo, 28 de março de 2010

sábado, 27 de março de 2010

Truculência, prepotência e covardia em SP

Pessoal, aí vai um texto que recebi por e-mail... Além da truculência que já é conhecida, fiquei ainda mais revoltado em saber que alguns dos professores presos foram TORTURADOS pela Polícia Militar. Voltamos ou não aos "anos de chumbo" da ditadura?

Imprimir E-mail
Escrito por Leonardo Wexell Severo
27/03/2010

Fonte: http://www.cut.org.br/index.php?option=com_content&task=view&id=19546&Itemid=170


Serra exibe suas credenciais ao país lançando PM contra professores em greve

  • Foto: Não economizaram munição
    Não economizaram munição
Escrevo estas linhas em meio a telefonemas de denúncias sobre presos e torturados pela Polícia Militar de José Serra na manifestação desta sexta-feira (26) nas proximidades do Palácio dos Bandeirantes, sede do governo paulista. Denúncias de grotescas armações realizadas por policiais que se passaram por manifestantes, abafadas para dar lugar ao assumimento da candidatura a presidente do governador do Estado mais rico e que paga o Pior Salário Do Brasil para o funcionalismo público. Também escrevo com dor, intensa, devido às queimaduras nos dois braços e mãos provocadas pelos sprays químicos, covardemente atirados pelos marginais com farda sobre quem fotografava de perto, documentando próximo demais para quem tudo quer encobrir. Depois, a versão oficial ganha as tintas da verdade nos jornalões e informação mercadoria cobre as emissoras de rádio e televisão.

  • Foto: Gás pimenta contra jornalistas
    Gás pimenta contra jornalistas
Antes de dar continuidade, cito o saudoso conterrâneo Apparício Torelli, mais conhecido como o Barão de Itararé, que daria boas risadas do cenário montado por José Serra nos meios de comunicação. Uma mídia que até para ser venal podia ter algum limite. Vendo o quão tosca foi a cobertura, quão partidarizada e ideologizada em favor do escárnio dos educadores, não há como fazer chacota deste tipo de “jornalismo”. Dizia o Barão: “Um bom jornalista é um sujeito que esvazia totalmente a cabeça para o dono do jornal encher nababescamente a barriga” e que “A televisão é a maior maravilha da ciência a serviço da imbecilidade humana”..

Vamos aos fatos:

  • Foto: Estudantes se solidarizaram com professores
    Estudantes se solidarizaram com professores
Foi montada uma barreira com a tropa de choque e grandes blocos de cimento impedindo o deslocamento de dezenas de milhares de professores em greve que, enfrentando a chuva e os inúmeros bloqueios da Polícia Militar - como nas rodovias Castelo Branco e Raposo Tavares, e também na Marginal do Tietê - conseguiram chegar até a avenida Giovanni Gronchi, no Morumbi.

O comando da paralisação, que Serra diz ser de 1%, até o dia de hoje não havia conseguido sequer ser recebido pelo governo. Nesta sexta uma comissão foi recepcionada finalmente no Palácio, mas o mesmo governo que alega não haver greve, diz que só iria negociar com a volta à aula dos grevistas.

Naquele mesmo instante, sob ordens do governador que já havia fugido da cidade, marginais vestidos com a farda da Polícia Militar abriram fogo contra manifestantes que queriam respaldar a negociação, mas foram recebidos com golpes de cassetetes, balas de borracha e bombas de efeito “moral”. Tinham que ficar no seu lugar. Ali era local reservado a autoridades e bacanas. Os professores não eram nenhum dos dois.

Diante do impasse e da decisão do governo tucano de manter o arrocho salarial – os professores acumulam perdas de 34,3% -, da continuação do escárnio da política de bônus, provinhas e provões, sem qualquer Plano de Carreira, com as salas superlotadas, com os laboratórios e bibliotecas caindo aos pedaços, com o fechamento de turnos e escolas, a greve continua. E nova assembleia foi convocada para a próxima quarta-feira, dia 31 de março.

  • Foto: Professor Thiago Leme foi alvejado pelas costas
    Professor Thiago Leme foi alvejado pelas costas
Com as costas perfuradas por duas balas de borracha, Thiago Leme, professor de biologia da Escola Estadual Metalúrgico, em São Bernardo do Campo, relatou: “Não espero absolutamente nada deste governo, somente que saia o mais rápido possível. Somos uma categoria profissional digna e deveríamos ser tratados como seres humanos. Infelizmente, a imprensa é parte deste sistema corrupto e vamos ter amanhã as versões dos fatos que eles inventarem sobre hoje”.

Com as duas pernas sangrando, atingidas por bombas de efeito moral, Sílvio Prado, professor de História de Taubaté, desabafou: “Deste governo a gente não pode mais esperar nada, só truculência”.

Sindicalista, Policial Civil, Jeferson Fernando foi confundido com um professor, mantido preso e espancado por cerca de três horas e levado ao 34ª DP de Francisco Morato. Com a roupa rasgada e acompanhado por dirigentes do Sindicato, Jeferson foi até a Corregedoria denunciar os inumeráveis abusos dos quais foi vítima.

Professor de Filosofia em Jundiaí, Fernando Ribeiro presenciou quando um dos muitos policiais infiltrados pelo governo na manifestação “tentava atear fogo em um veículo, buscando incriminar os manifestantes”. Com o policial à paisana identificado, professores e estudantes saíram à caça do marginal que buscou refúgio entre os policiais militares. “Tentaram colocar fogo no carro para culpar o protesto. Como agiram com muita força, numa ação desproporcional, queriam uma justificativa”.

  • Foto: Carlos Ramiro (Carlão) foi atingido por um estilhaço de  bomba
    Carlos Ramiro (Carlão) foi atingido por um estilhaço de bomba
Coordenador da representação do funcionalismo público estadual e vice-presidente estadual da CUT, Carlos Ramiro de Castro (Carlão) foi atingido na testa por um estilhaço de uma das bombas lançadas a esmo pelos policiais. Tranquilo, Carlão foi categórico: “O governo perdeu a cabeça e está desesperado. A razão está do nosso lado, venceremos!”

A professora Maria Izabel (Bebel), presidente da Apeoesp (Sindicato dos Professores do Ensino Público Oficial do Estado de São Paulo), também denunciou os provocadores "infiltrados" pelo governo estadual para deslegitimar a manifestação pacífica e exortou a categoria a ampliar a mobilização e se fazer presente na próxima quarta-feira na Paulista. “Tentaram nos colocar de joelhos, mas estamos aqui, de cabeça erguida, exigindo o respeito que esta maravilhosa categoria merece”.

A presidenta da União Municipal dos Estudantes de São Paulo (UMES), Ana Letícia, sublinhou que “os professores nos enchem de orgulho pois estão enfrentando com garra e coragem a covardia e a mentira do desgoverno Serra. Contem conosco para seguir em frente na defesa da melhoria da qualidade do ensino público”.

  • Foto: Cada vez mais claro: Serra mente para o povo
    Cada vez mais claro: Serra mente para o povo
De acordo com o deputado estadual Roberto Felício (PT), o simples fato das direções de escola terem sido instruídas pelo governo a não informarem sobre a paralisação é um forte indício do respaldo do movimento junto à categoria, “que está na linha de frente, pois não foge da luta”.

Conforme o deputado estadual Major Olímpio (PDT), liderança dos policiais militares, o que o governo estadual fez foi usar de toda a sua truculência e o seu aparato repressivo em vez de abrir negociação com os professores. “Os manifestantes vieram para dialogar, mas o governo tucano os recebeu como numa guerra”, frisou.

Para os incautos que ainda alimentavam alguma ilusão em relação à falta de caráter de José Serra, vale o comentário de um ex-amigo seu, Flávio Bierrenbach, ex-deputado e ministro do Superior Tribunal Militar: “Serra entrou pobre na Secretaria de Planejamento do Governo Montoro e saiu rico. Ele usa o poder de forma cruel, corrupta e prepotente. Poucos o conhecem. Engana muita gente. Prejudicou a muitos dos seus companheiros. Uma ambição sem limite. Uma sede de poder sem nenhum freio".

Agora, vamos freá-lo!


Twitter: www.twitter.com/ale_historiador

O dia em que retornamos aos anos de chumbo da ditadura militar...








Crédito das fotos: Site uol

Voltamos aos tempos da ditadura, quando qualquer manifestação, mesmo que pacífica, era recebida à base de violenta repressão. Apesar da semelhança no AUTORITARISMO, a diferença é que não temos um militar, mas sim um civil, que ainda quer ser presidente da República.

Como se já não bastasse todas as humilhações que nos foram impostas por esse governador, foi vergonhoso o que aconteceu hoje (26/03)! Professores desarmados, protestando somente com suas bandeiras, palavras de ordem e cantando o hino nacional, foram covardemente atacados pela Polícia Militar, a mando de José Serra, com bombas de gás lacrimogênio, porretes e tiros. Ao contrário do que saiu em parte da imprensa, nós professores respeitamos até o último momento a barreira imposta pelos militares, sem violência. Eles é que partiram para cima da gente, passando como um trator sobre pessoas desarmadas. Porque não fazem isso com quem pode revidar à altura?

"Polícia para quem precisa, polícia para quem precisa de polícia", esta frase poucas vezes fez tanto sentido. É muito mais fácil enfrentar professores com força imensamente desigual do que os bandidos que realmente causam grandes prejuízos ao país.

José Serra já foi líder estudantil, lutando contra a ditadura militar. Hoje ele é tão ditador quanto os que combateu... É esse indivíduo que você quer para governar nosso país? Um presidente que trata a educação de forma truculenta, como caso de polícia?

Pessoal.. já estou no meu limite, tanto psicológicamente quanto na questão financeira. Entretanto, uma agressão física dói, mas sara em alguns dias, enquanto que uma agressão moral deixa marcas profundas para sempre.

Meus pais não criaram um "banana", mas sim um homem que preza sua dignidade acima de tudo. Portanto, NÃO vou simplesmente abaixar a cabeça e voltar como se nada tivesse acontecido, é questão de honra lutar até o fim! Só volto quando esta greve estiver terminada, e este governo autoritário e covarde rendido perante a força dos professores!

Abraço a todos!

Twitter: www.twitter.com/ale_historiador

terça-feira, 23 de março de 2010

O aborto da educação


O que nossos governos fazem com a educação é um assassinato em massa de mentes. Para eles, não basta formar professores imbecis, que por sua vez formarão alunos mais imbecis ainda, isto é, aqueles indivíduos extremamente limitados manipulados por controle remoto que votarão sempre nos mesmos corruptos.

Com esta educação medíocre que oferecem, matam ainda no ninho mentes que possivelmente fariam algo novo e diferente para o país. Isso é o que me deixa mais triste vendo alguns alunos e professores, pois percebo que estão conseguindo...

Assim, qualquer semelhança entre tais projetos educacionais e a política hitlerista é mera coincidência...

Fico pensando no clipe de Another brick in the wall, da banda inglesa de rock Pink Floyd (http://www.youtube.com/watch?v=M_bvT-DGcWw), na parte em que todas as crianças marcham uniformemente até virarem carne moída, e depois sendo saboreadas por um político podre (no clipe é um professor). Percebem a metáfora implicita? Ao homogeneizar e mandar a educação pro moedor de carne, juntos professores e alunos, estes governantes picaretas se alimentam dos nossos sonhos e ideais, assassinando prematuramente em nós nosso desejo de mudança. Muitos começam com grande fôlego, que vai se perdendo ao longo do tempo, se misturando com cansaço e conformismo. Não quero isso pra mim... Quer isso pra você?

Calma, não vamos colocar fogo na escola... Mas precisamos deixar de sermos imbecis! Precisamos aprender que democracia não é apenas votar num representante político, mas cobra-lo se ele não corresponder às nossas expectativas, e continuar lutando até mesmo quando todas as forças minguarem.

Não tenho dúvidas que muita coisa melhorará quando o brasileiro aprender a ter vergonha na cara e boa memória, e nunca mais votar em quem já demonstrou não merecer nossa confiança. Tantos e tantos são pegos, condenados a comer uma bela "pizza" e voltam como se nada tivesse acontecido.

PS: Não esqueça de ler também os posts abaixo e os comentários... Preste atenção como este aborto em massa tem total cumplicidade de nossa tão "neutra" imprensa. Por que será?!

Twitter: www.twitter.com/ale_historiador

Abrazos!

sábado, 20 de março de 2010

Galera do Meirelles: Esclarecimentos sobre a greve















Fala pessoal!

Nós professores, em reunião, decidimos manter a paralização até a próxima 4ª feira (24/03), quando nos reuniremos novamente e decidiremos manter ou não a greve.

Estamos atentos ao que se resolverá na próxima terça (23/03), quando Paulo Renato irá à Assembléia Legislativa (onde ficam os deputados estaduais) e será mais uma vez chamado a negociar as atitudes autoritárias do seu governo. Caso não haja acerto, na sexta-feira, aproximadamente 100 mil professores irão ao Palácio dos Bandeirantes, que é de onde ele manda suas ordens estúpidas.

Fiquem atentos ao que se passa na tv e nos jornais, mas não acreditem em tudo. Estão mentindo descaradamente! O governo já está acuado, e então usa das armas mais baixas possíveis, como manipular e distorcer dados, mentir e amearçar professores.

Entretanto, tenho motivos para acreditar que essa paralização já está próxima do fim. Em primeiro lugar, apesar do secretário afirmar em todos os jornais que somente 1% estão parados, ontem 60 mil foram às ruas de SP protestar. Mesmo o fato do governador ir até a Assembléia para tratar da "greve", já indica que o assunto é bem sério. Eles também perceberam que não se pode maltratar professores e alunos e ficar por isso mesmo. Segundo alguns professores mais antigos, há muito tempo não havia tanta mobilização de uma classe que sempre foi bastante desunida.

Segundo, José Serra precisa sair do governo no início de abril para se candidatar oficialmente à presidência. Em 2006, Geraldo Alkmin saiu com São Paulo perdida nas mãos do PCC, resultado: Muitos votos a menos e que fizeram falta no final, contra o Lula. Portanto, Sair de cena com a educação parada é um péssimo negócio pra ele, que na campanha tentará construir uma imagem de governante experiente e competente. Desta vez, o tempo é inimigo deles!

É preciso ficar claro que ninguem gosta de fazer greve, pois todos saem com algum tipo de prejuízo. Nós, por exemplo, teremos os dias parados descontados, e só receberemos após as reposições. Isso já significa um baita rombo no orçamento... No entanto, é um momento em que não podemos nos omitir, pois como vamos formar cidadãos críticos e conscientes se nós mesmos vivemos alheios ao que nos acontece e não lutamos pelo que é nosso de direito?

Com relação a vocês, as aulas serão repostas aos sábados, de forma que todos tenham o mínimo prejuízo possível, em especial os do 3º ano, que terão vestibular e ENEM no fim do ano. Precisamos, acima de tudo, que vocês entendam a legitimidade do que estamos fazendo por vocês e por nós, e que lutar só contra uma imprensa mentirosa e grandes e poderosos grupos econômicos é muito mais difícil.

Quanto a mim, me coloco totalmente a disposição de vocês, utilizando todos os recursos possíveis para responder todas as dúvidas que surgirem.

Twitter: www.twitter.com/ale_historiador

Grande abraço a todos!

terça-feira, 16 de março de 2010

Futebol dos filósofos!

Em época de copa do mundo...

Sátira muito inteligente dos principais filósofos alemães e gregos, numa espetacular partida de futebol, com o grupo de humor Monty Python... como diria Galvão Bueno, "haja coração"!


video

Abraços!

segunda-feira, 15 de março de 2010

Magia e bruxaria: da Inquisição ao universo teen

Ah, isso daria uma tese... mas vou tentar resumir!

Já foi o tempo em que o universo da magia esteve associado somente ao mal... Durante a Idade Média, qualquer um que saísse de seus padrões de sociedade era já acusado de feitiçaria, sendo brutalmente torturado e, provavelmente queimado. Mentes geniais como Joana D'Arc e o italiano Giodano Bruno pagaram o preço de desafiar a ordem medieval.

E o Tribunal da Inquisição (criado em 1250) não pegava leve. É preciso relativisar, portanto, o que estão entendendo por "bruxa", pois neste momento a ciência é algo totalmente intolerável.

Entretanto, é durante a guerra fria que a "caça às bruxas" volta à tona. Desta vez, com o mundo bipolarizado entre EUA e URSS, as bruxas são os comunistas.

Aí começa outro período de insanidades e intolerância, pois, tendo como justificativa o combate ao comunismo, os estadunidenses apoiaram golpes de extrema direita em todo o ocidente, nos países latinoamericanos em especial. O grande Charlie Chaplin, mais genial cineasta do século XX, foi obrigado a se exilar em vários países europeus, pois havia sido banido de sua terra natal, por ser considerado "comunista". É importante lembrar que o senador Joseph McCarthy é um grande personagem deste período, também conhecido como mccarthismo.

Se durante a Idade Média bastava denunciar quem você não gostava como feiticeiro, na guerra fria acusar seu desafeto de comunista também era o bastante para ele sumir nos porões de uma ditadura qualquer. Até ele conseguir se explicar (se conseguir), imagina só o quanto o coitado não tinha apanhado...

Bom, mas aí entra na história um certo bruxinho adolescente que arrebatou milhões de fãs em todo mundo. Harry Potter e sua turma, da escritora inglesa J.K. Rowling, fizeram uma parcela da população tradicionalmente chamada de preguiçosa voltar a ler com vontade, abrindo caminho para outros livros como a saga Crepúsculo. Eu mesmo li até o 4º livro e assisti todos os filmes!

Não que a bruxaria tenha perdido seu contorno de "magia negra", mas agora também pode ser usada para combater o mal.

E é exatamente com essa tônica que este universo se torna atraente aos jovens contemporâneos, que se divertem, se emocionam e são surpreendidos pelas aventuras de Potter, Hermione Granger e Ronnie Weasley pelos arredores da Escola de Magia e Bruxaria de Hogwarts, contra o lord das trevas Voldemort.

Veja bem, tudo o que envolve o oculto, sobrenatural, nos fascina! Esta é a razão pela qual lemos e assistimos romances sobre vampiros e bruxos, maus ou não, filmes de terror, suspense, etc.

O mesmo caminho pode ser feito com os vampiros... Já parou pra pensar quantos filmes e livros com personalidades diferentes? Desde os vários Dráculas, sanguinários, aos da família de Edward Cullen, "politicamente corretos"...

Abraços!!

Alessandro Santana

domingo, 14 de março de 2010

Considerações sobre a imprensa brasileira

Que aproveitar este espaço para manifestar minha indignação e meu repúdio à grande parcela da imprensa brasileira, prostituta dos interesses econômicos. São esses mesmos grupos que anteriormente defendiam a ditadura militar, Globo e Folha por exemplo, que hoje se transvestem de democráticos, sempre ao lado de quem detém o poder, nunca do bem comum.

É uma vergonha o que estão fazendo no caso da paralização dos professores, aliás, o que sempre fizeram. Estive sexta passada em São Paulo (12/03) e sei o que vi, parte da Av. Paulista e toda Av. da Consolação completamente tomadas, com as pessoas nos prédios particulares e públicos, em ônibus e carros demonstrando apoio à passeata. Até mesmo policiais militares, apesar de estarem para "manter a ordem", reconheciam a justiça do movimento. Calcula-se que algo em torno de 40 mil estiveram presentes.

No entanto, o que saiu na mídia... Que menos de 1% dos professores estão em greve, e que menos de 8 mil estiveram na passeata. Não estou maluco sei o que vi, e que a descarada manipulação da verdade e dos fatos atingiu níveis absurdos!

Semana passada, o senhor governador, que de tão ridículo ignoro o nome, afirmou que a culpa das notas tão baixas no SARESP de matemática era dos professores... Ora, governador, se você continua afirmando que a maioria dos professores concorda com suas medidas autoritárias, quem é que não sabe fazer contas nessa história?

Este é um espaço democrático... Se concorda ou não com minha opinião, por favor, deixe seu comentário...

Abraços!

segunda-feira, 8 de março de 2010

"Avatar" e o olhar de um historiador


Apesar de superar todas as expectativas de bilheteria, sendo o maior fenômeno de todos os tempos - batendo o record de Titanic, também do diretor James Cameron - Avatar ficou devendo na na entrega do Oscar. O filme levou 3 estatuetas, perdendo os principais prêmios para Guerra ao terror, de sua ex-esposa Kathryn Bigelow.

Compreensivel a decisão da academia, pois Avatar foi um dos filmes mais caros da história, enquanto o filme de Bigelow, que traz um olhar crítico sobre a guerra do Iraque, teve de recorrer a recursos franceses, devido a falta de apoio dentro dos EUA, mas isso será assunto pros próximos posts...

A imensa maioria dos que assistiram Avatar em 3D, assim como eu, saiu impressionada com a riqueza de detalhes e a aventura que o filme nos reporta.

Na ficção, após a quase destruição da Terra, por nós mesmos, os humanos iniciam a exploração de um planeta distante, conhecido como Pandora, lá encontrando um tipo de rocha valiosíssima aqui na Terra. Para ter sucesso na empreita, devido a falta de condições de respiração, os cientistas criam avatares - como os que a gente usa na internet- capazes de viver e se locomover livremente pelo planeta.

É óbvio que na exploração da rocha entram em conflito com os Navi's, a população nativa, que inicia uma guerra contra o humano invasor na defesa de sua vida, simbioticamente ligada à natureza. Há aí, além de uma clara mensagem ambiental, uma fábula imperialista.

Experimente substituir Pandora pela América; Navi's por Maias, Incas, Astecas, Tupi, etc, e você enxergará as etapas e mecanismos da conquista e extermínio das comunidades americanas pelo europeu invasor. Assim como no filme, espanhóis, portugueses, ingleses e franceses mandaram seus cientistas e intelectuais para nos estudar, se colocaram como as potências portadoras da civilização que nos tirariam de nosso estado de "barbárie", invadindo e desrespeitando a cultura local.

Demonizados os povos daqui que resistiam à invasão, estava pronto o argumento para o extermínio destas populações, numa batalha com armas imensamente desiguais.

Pois é, Avatar também é uma aula de história! Pena que na realidade não tenha acontecido como no filme, onde com a ajuda das forças da natureza conseguem vencer o humano alienígena. Aqui ficou o triste saldo de milhões de mortos, e sociedades inteiras dilaceradas pela ganância e violência do europeu.

Abraço a todos!!!

Alessandro Santana

domingo, 7 de março de 2010

Frase da semana



"É pela mesma razão que as fraldas e os políticos precisam ser trocados com frequência" (Eça de Queiroz)